AGENDA!!



De 21 a 23 de junho , o Teatro da USP oferece mais uma edição do Circuito TUSP de Teatro, que mescla apresentações convencionais com exibições em espaços alternativos, buscando a proximidade e a interação com o público.
Circuito TUSP de Teatro é um programa de ação continuada para a difusão das artes cênicas nos campi da USP e em parcerias com diversos espaços no interior do estado. Nesta edição, o evento se realiza nas cidades de Bauru, Piracicaba, Ribeirão Preto e São Carlos, apresentando: A noite pouco antes das florestas e Ininterrupto Beckett, produções de artistas-estudantes do Departamento de Artes Cênicas da USP e  Só… entre nós, da Cia. de Teatro Bobik & Sofotchka.
Em formato condensado, a intenção do Circuito é criar um espaço de contato com uma produção teatral de qualidade para propiciar um local de encontro artístico e gerar debates que possam fomentar a formação teatral.
21/06  às 20:00   Só…Entre Nós 
 Só…entre Nós - Uma história sobre a solidão urbana, o tempo e o amor, envolvendo um triângulo amoroso entre um professor de música, sua mulher e seu aluno.  O texto inspira-se na obra “Estranhos Estrangeiros”, último romance de Caio Fernando Abreu, para criar personagens mergulhados no isolamento e na solidão urbana tão comum nas grandes cidade. Mais que tentar desvendar o amor, o espetáculo conduz a uma percepção poética do amar: no jogo da aceitação poética do outro, oferece-se a cumplicidade de descobrir o amor como soma de lados iguais.Direção Joca Andreazza Texto Franz Keppler. Elenco Marcia Nemer-Jentzsch, Vitor Placca e Tiago Martelli Iluminação André Lemes Preparação corporal Ricardo Galli Fotografias Michel Igielka
Local: Casa das ArtesR. Espírito Santo, 110 – Sumarezinho, Ribeirão Preto45 min. | 12 anos 
22.06  às 20:00  Ininterrupto Beckett:  Solo + Ato Sem Palavras I
Seu nascimento foi a sua morte. Novamente. Solo + Ato Sem Palavras I de Samuel Beckett. Só palavras + só movimento. Não há tempo para o pensamento. A morte sussurra no ouvido de cada um. Estar vivo é reafirmar a existência da iminência da morte. Em um quarto fechado no meio de um deserto. “Ele ia dizer. Ele ia dizer entes queridos. De funeral em funeral”. É rígido perturbador vulcânico. Olhar para as durezas do sentimento humano, da inocência atravessada, do desejo, da pulsão, do único exercício de liberdade: refletir. “Um assobio do lado direito. Ele reflete, sai pelo lado direito.”Atuação Vitor Amato Direção Otto BlodornCenografia Douglas Vendramini ContrarregragemMarina Meyer Iluminação Nara Zocher
Local: Memorial da Classe Operária -UGTR. José Bonifácio, 59 – Centro, Ribeirão Preto | 50 min. | 14 anos | 50 min. | 14 anos

23/06 as 20:00 - A Noite pouco antes das Florestas, de Bernard-Marie Koltès | 60 min. | 16 anos 
Numa noite chuvosa, um homem corre, perseguindo um desconhecido que vira a esquina. Buscava alguém a quem pudesse chamar companheiro e confessar sua espantosa solidão, sua existência de fuga num mundo que não o quer, que faz dele um doente querendo beber. Um mundo povoado por uma multidão de outros, caçadores e presas, o que lhe provoca uma vontade louca de sair dando porradas e de lançar palavras como fogos de artifício para iluminar a noite. A Noite pouco antes das Florestas, manifesto poético de uma descida aos infernos, é uma espécie de soco no estômago, mas também um grito de amor que se perde na noite chuvosa, noite dos tempos de exclusão, de indiferença, racismo, ódio e extremismos.Atuação Agmar Beirigo, Augusto Caliman e Nemuel Silva Iluminação Cláudia Bem Concepção e Direção Musical Gabriela Toloi Cenografia  Coletiva Operação de luz e som Andressa Mello e Eduardo Yoshimura
Local: Memorial da Classe Operária -UGTR. José Bonifácio, 59 – Centro, Ribeirão Preto | 50 min. 16 anos | 60 min. | 14 anos














TUSP na Semana de Recepção aos Calouros- Mostra CAC- Tennessee Williams

A Mostra CAC Tennessee Williams reúne montagens de 5 peças curtas do dramaturgo estadunidense feitas pelos alunos da disciplina “Direção II” do curso de artes cênicas da ECA-USP e foi realizada em agosto de 2016 no Teatro da USP em São Paulo. A proposta é que os trabalhos possam circular pelos campi de Bauru, Piracicaba, Ribeirão Preto e São Carlos como parte integrante das respectivas Semanas de Recepção aos Ingressantes dos campi do interior onde existe a ação dos OADs do TUSP.
 A ação tem como objetivos propiciar aos alunos que estão em seus primeiro contato a Universidade o encontro com a dimensão cultural da vida universitária propiciada através de uma produção gestada no interior da própria universidade. 
Dia 09/03 No Espaço FEA (antiga Livraria Atlas) as 19:00 -  lugares limitados!





   Entre o docudrama e o documentário cênico, em TERRENOS: Documentário Cênico sobre “A Mor te na Vida da Grande Cidade”, a Cia. Teatro Documentário parte do relato de uma senhora de 98 anos, Francisca, sobre as mortes que a acompanharam na decisão por sair do interior e vir para a capital, demonstra as possibilidades de denúncia nos palco por meio do discurso cênico a partir da comprovação documental.
Ficha técnicaDireção Marcelo Soler 
Atores documentaristasCarolina Angrisani, Gustavo Curado, Márcio Rossi e Natália Lemos
 Dramaturgia Cia Teatro Documentário 
Iluminação Luana GouveiaOperação Alan Paes Sonoplastia Diego CaldasCenografia Júlia Saragoça e Marcelo Soler FigurinoMilton Fucci Modelismo Elisângela RodriguesCostura Ateliê Elisa Dally Visagismo João Marcelo Basil e Caio Costa Cenotecnia Mateus FiorentinoFotografia documentados João Hannuch e Lucas Scalco Produção executiva Maria Tereza Urias e Aline Ferraz Assistente de produção Natasha Karasek Vídeo Jonas Golfeto Formadores Isabel Setti, Luis Scapi, Luzia Carion, Renan Rovida e Sandra Vargas Provocadora cênica Aline Ferraz Gruposparceiros Cia Antropofágica, Brava Companhia, Dolores Boca Aberta, Refinaria Teatral e Grupo Sobrevento Criação e realização Companhia Teatro Documentário
Workshop: Práticas em Teatro DocumentárioA Cia. de Teatro Documentário compartilha um processo de trabalho similar ao que desenvolve em seus processos criativos. Ao pesquisar, selecionar e articular prioritariamente dados de não-ficção para construir em cena o que se deseja comunicar, evidencia-se um ponto de vista sobre o que se viu/ouviu/sentiu. A proposta documentária impele a isto, pois como Peter Weiss declara: “a realidade, por mais impenetrável que se procure apresentá-la, oferece saídas a quem se esforça em explicá-la; e ela pode ser explicada em cada pormenor”. Documentar algo é ter  perspectiva histórica sobre as coisas e não se eximir de opinar sobre a realidade.
Coordenação de Marcelo Soler, doutor e mestre em artes cênicas (pedagogia do teatro) pela ECA-USP e autor de Quanto vale um cineasta brasileiro?, livro-documentário sobre a vida e obra do cineasta Sérgio Bianchi, e Teatro Documentário: a pedagogia da não ficção (Hucitec). 
Mesa-Redonda: Teatro Documentário: Entrelaçamentos entre o Estético, o Pedagógico e a Não-ficção. Com Ferdinando Martins, diretor do TUSP e professor (ECA-USP), e Marcelo Soler, diretor da Cia. de Teatro-Documentário e professor (ECA-USP)
O encontro pretende apresentar o campo de pesquisa ocupado pelo que se designa como teatro documentário, buscando a necessidade de trabalhar com um termo agregador, que não estigmatize a criação de rótulos, assim como uma tipologia sistemática e ordenada. A abordagem pretende compartilhar uma reflexão  da diversidade de propostas no campo documental, destacando sobretudo, aquelas que não dissociam o estético do pedagógico.
A Cia Teatro DocumentárioFormada em 2006, a Companhia Teatro Documentário estuda, como o nome indica, as peculiaridades do teatro documentário em termos práticos e teóricos, numa tentativa de construir um trabalho profícuo em torno dessa proposta estética. Desde de sua formação, a perspectiva da Cia. foi a de não dissociar procedimentos artísticos dos de caráter pedagógicos, já que todos os seus integrantes têm licenciatura em teatro. Depois de três encenações apresentadas no SESC Consolação, Espaço dos Parlapatões e TUSP, foi em 2010 que a Cia. desenvolveu um trabalho que lhe deu notoriedade e abriu caminho para a investigação documentária  para e sobre a cidade de São Paulo: realização de pequenos discursos teatrais dentro da casa de pessoas a partir da memória delas, apresentadas para vizinhos e familiares. Assim surgiuComo se pode brotar poesia na casa da gente?,projeto contemplado pela 16ª edição da Lei de Fomento ao Teatro.
Ribeirão Preto | 15 de maio (domingo)14h-15h15 – mesa-redonda
15h30-18h – workshop (15 vagas, inscrições até 13.05 para o e-mail ao tuspribeirao@gmail.com com o assunto “Workshop: Teatro-documentário”)
20h – espetáculo
Local: Casa das Artes
R. Espirito Santo, 110, Monte Alegre – Ribeirão Preto


O Teatro da USP inicia em Ribeirão Preto a partir de 13 de abril o XIII Ciclo de Leituras Públicas.




Neste XIII Ciclo, Tennessee Williams em um Ato, o TUSP pretende traçar um panorama das peças curtas de Tennessee Williams, um dos mais importantes nomes da dramaturgia moderna. O tema da opressão – seja ela sexual, racial ou social – é uma constante em sua obra, marcada pelo forte teor autobiográfico e grande sensibilidade na construção de suas personagens.

O Programa de Leituras Públicas propõe, a cada ciclo semestral, a leitura de peças teatrais selecionadas a partir da obra de um autor ou tema específico e é realizada pelo público presente em encontros abertos com a mediação da equipe artística do TUSP.
Em Ribeirão Preto o orientador de arte dramática Dilson Rufino é o responsável pela mediação.

Confira o cronograma das leituras: são dois textos por encontro

 Dia 13/04 as 19:00

Esta Propriedade está condenada (1946).
Duas crianças se encontram nos trilhos de trem, onde compartilham fatos cruéis com a ambígua relação entre brincar de inventar histórias e relatar atos abomináveis como se estivessem em um jogo de verdades e mentiras.

Lembranças de Bertha (1946).
Bertha, uma prostituta muito doente e sem um tostão, que reside atualmente em um bordel decadente, relembra seu passado, incluindo um amor perdido há muito tempo que agora é casado e tem um filho.
  
dia 27/04 as 19:00

E contar tristes histórias das morte das bonecas (1957).
A trama conta a história de Candy, uma travesti que comprou o negócio de seu examante depois que este a abandonou e que passa a sustentar um marinheiro violento e homofóbico por quem se apaixona.

Mr. Paradise (1939).
Garota visita Mr. Anthony Paradise (pseudônimo de Jonathan Jones) em sua esquálida residência. Ele é autor de um livro de poemas que ela alega ter mudado sua vida, querendo que ele se revele para o mundo. Ela planeja organizar palestras, leituras e etc. para que ele seja reconhecido. A Garota tenta convencê-lo, mas, aos poucos, ele dissolve os argumentos dela alegando que os tempos mudaram.

Serviço
Onde | Seção de Atividades Culturais

Rua Pedreira de Freitas – Casa 4

Campus USP Ribeirão Preto Av. Bandeirantes 3.900- Monte Alegre – Ribeirão Preto

Quando | Segundas-feiras, às 19h































Teatro da USP e Seção de Atividades Culturais promovem Semana de Arte no campus Ribeirão Preto
TUSP e a Seção de Atividades Culturais da USP de Ribeirão Preto realizam, de 10 a 16 de novembro, a Semana de Arte da Atividades Culturais com programação gratuita.
O evento traz apresentações de teatro, dança, música, fotografia e poesia. O Núcleo TUSP de Teatro, o grupo de chorinho Quarteto Três a UM e o grupo de teatro O Canto dos Famintos são algumas das atrações da semana que se destacam por serem formados por participantes das oficinas e núcleos que frequentam o espaço cultural.

A Semana de Arte também contará com uma oficina de teatro ministrada pelo orientador de arte dramática do TUSP, Dilson Rufino e pela orientadora de artes cênicas do Sesi de Ribeirão Preto, Priscilla Altran.

A peça Pedro ou a Triste História sobre como um Escravo Livre ascendeu a Santidade, produzida peloNúcleo de Artes Cênicas do Sesi Ribeirão Preto, encerra as apresentações.


Serviço
Onde | Seção de Atividades Culturais

Rua Pedreira de Freitas, casa 04 – Campus da USP Ribeirão Preto


Dia 10 – 20h

Lançamento | exposição Fotografias – alunos da oficina de Fotografia Básico

Teatro – Programa TUSP de Leituras Públicas

Poesia – Sarau Preto


Dia 11 – 20h

Teatro – O Canto dos Famintos (FDRP) – cenas de Bertolt Brecht

Dança – alunos da oficina de Forró Universitário

Música – Guilherme Marin


Dia 12 – 20h

Teatro – Núcleo TUSP – cenas de Max Frisch e Elmer Rice

Dança – Marcos Abraão e Jéssica Lobo

Música – Rock Clássico – Lara Ferraz e Xororó (Carlos Alves)


Dia 13 – 20h

Teatro- Gustavo Porto- Girando… em algum lugar.

Dança – Alunos da oficina de Dança do Ventre
Dança – Ana Yosetake

Música -MPB – Rafael Marangoni, Lara Ferraz e Vitor Lyra Biagioni


Dia 14 – 20h

Dança – Raiana Richter (Sísmica).

Dança – Kaliandra Kali – Dança Cigana.

Música -Chorinho – Quarteto Três a Um (Rafael Marangoni, Giulia Salgado Coelho da Silva, Nilton Soares, Vitor Lyra Biagioni)


Dia 15 – das 14h às 17h30

Oficina de Teatro – Dilson Rufino (Or. de Arte Dramática do TUSP) e Priscilla Altran (Or. Artes Cênicas do SESI)

OndeCasa do Administrador (Antigo Centro de Visitantes)

Em frente ao Museu Municipal, Campus USP Ribeirão Preto. Acesso pela portaria da Avenida do Café.


Dias 15 e 16 – 19h30

Teatro – Pedro ou a Triste História sobre como um Escravo Livre ascendeu à Santidade

Direção | Priscilla Altran

Montagem dos alunos do Grupo Múltiplas Linguagens

Núcleo de Artes Cênicas do SESI Ribeirão Preto

Elenco | Alexandra Silva; Chrystian Pompolo; Ed Oliveira; Franziska Rüedi; Geisy Urbano; Janaína Crispim; Jasllyn Scalabrini; Kelbi Marques; Leonardo Mussolini; Cláudio Avlis; Mallu Morelli
Indicação | 14 anos
Ingressos | Distribuição gratuita no local, uma hora antes do espetáculo.
Lotação | 40 pessoas


Informações
TUSP Ribeirão Preto

www.tuspribeirao.blogspot.com.br

www.facebook.com/tusp.preto

Fone: (16) 3315.0560



Dicas Culturais

Seção de Atividades Culturais | DVATCOM | PUSP-RP | USP | Campus de Ribeirão Preto

www.prefeiturarp.usp.br/cultura

www.facebook.com/atividadesculturais.usp.rp

Fone: (16) 3315.3530










O Programa de Leituras Públicas faz parte dos Núcleos de Experiência e propõe, a cada 
ciclo, a leitura de peças de diferentes autores pelos presentes em encontros abertos com a mediação da equipe artística do TUSP.
Neste Ciclo XII "A Multidão Protagonista" selecionamos textos que denunciam situações de opressão onde a luta de classes ganha corpo, com o coletivo - ou o indivíduo - decide tomar as rédeas de seu próprio destino. Seja personificado por um grupo ou por uma única figura que representa o lado até então mais fraco da corda, o protagonista destes textos traz a tona a desigualdade, revolta e a necessidade de transformação.

20 de outubro – às 19h Santa Joana dos Matadouros, de Bertolt Brecht (1929-31/1959)


03 de novembro – às 19h Eles não usam Black-tie, de Gianfrancesco Guarnieri (1958)

10 de novembro – às 19h Lisístrata, de Aristófanes (411 a.C.)


24 de novembro – às 19h Quando as Máquinas Param, de Plínio Marcos (1972)

Local: Seção de Atividades Culturais - Rua Pedreira de Freitas, casa 04 - Campus da USP Ribeirão Preto.
Atividade gratuita.




Anteriores:  









O Circuito TUSP de Teatro é um programa de ação continuada para a difusão das artes cênicas nos campi da Universidade de São Paulo, em parceria com outros espaços públicos no interior do estado. Nesta 11ª edição o evento será realizado nas cidades de Bauru, Piracicaba, Ribeirão Preto e São Carlos.

As peças foram escolhidas dentre os grupos nacionais que participara da I Bienal Internacional de Teatro da USP – Realidades Incendiárias, realizada em 2013 na capital paulista, no intuito de ampliar o alcance da mesma e ao mesmo tempo lançar olhares a  produção teatral de outros estados. 



29/05 as 21:00  -BadenBaden”, do Coletivo Baal, de Santa Catarina. Inspirada em Bertolt Brecht , procura suscitar a reflexão sobre a morte, a renúncia, o acordo, a ajuda e a violência. Por meio do exercício do acordo, é proposto um julgamento no qual se decidirá se quatro aviadores acidentados merecerão ajuda. 

No Teatro Municipal  - Praça Alto do São Bento - S/n Morro do São Bento - Duração 70 minutos | Classificação 14 anos-  70 lugares

 30/05 às 21:00  -Outro Lado” do Quatroloscinco – teatro do comum, de Minas Gerais. A peça convida o espectador para uma vivência que sobrepõe ficção e realidade, mistura de tempos e espaços. Usa uma fábula inicial como pretexto para se questionar a aleatoriedade dos acontecimentos.

No Teatro Santarosa, - Praça Rotary Club, 325 - City Ribeirão- Duração 65 minutos Classificação 12 anos - 50 lugares

31-05 às 21:00 -  Arqueologias do Presente – A Batalha da Maria Antônia”, do grupo  OPOVOEMPÉ- Em um salão de jogos, os participantes do público são convidados a compartilhar memórias, negociar significados, realizar acordos e refletir sobre a construção de formas de democracia. Arqueologias do Presente propõe uma experiência não-convencional ao espectador, em busca dos vestígios da Ditadura Militar Brasileira na estrutura da sociedade e, sobretudo, no seu imaginário.

No Memorial da Classe Operária- UGT , Rua josé bonifacio 59, Centro - Duração 90 minutos Classificação 12 anos 50 lugares.

 Esse mesmo local recebe, ainda no dia 31/05 o workshop: Criação de Composições, do grupo OPOVOEMPÉ, das 14:00 as 17:00. As inscrições para o  workshop são feitas através do email tuspribeirao@gmail.com 


 


Programa TUSP de Leituras Públicas


O Programa de Leituras Públicas propõe, a cada ciclo, o dizer de peças de autores eminentes do teatro.A atividade é uma das ações do Núcleo Tusp de Teatro de Ribeirão Preto. 


Neste XI ciclo “BRECHT CONTRA A PÁTRIA” o TUSP abordará peças do autor alemão Bertolt Brecht que investigam, sob a ótica estético-política, modos de resistência à chamada “época da contrarrevolução”, instaurada com a ascensão e consolidação da Alemanha Nazista.
Além das leituras o TUSP também realizará uma experiência prático-teórica com a atriz e diretora argentina Laura Brauer. A diretora, que pesquisou as técnicas do ator de Bertolt Brecht na Academia de Arte de Berlim, realizará debates ou atividades práticas na abertura dos ciclos ou durante a programação, conforme critérios definidos por cada campi.

As leituras acontecerão, exceto o encerramento,  sempre às 19:00 - Venha partilhar essa leitura conosco!

Seção de Atividades Culturais

R. Pedreira de Freitas , casa 4

Campus USP - Ribeirão Preto

Atividade gratuita.

tel:(16) 3602-0560

tuspribeirao@gmail.com



Cronograma

31.03 – A Mãe (1930-31/1932)
Pelagea Vlassova é envolvida pelo próprio filho, metalúrgico, nas lutas de classe e toma consciência dos papéis sociais que desempenha. Após a prisão de seu filho decide se alfabetizar e a desempenhar diversos papéis para continuar a luta. Passa de mãe apaziguadora e pacifica a militante que, mesmo na pior das perdas, encontra força em suas ideias para continuar sua luta.


14.04 – A Peça Didática de Baden-Baden sobre o Acordo / O Voo Sobre o Oceano  (1928-29)
-A Peça Didática de Baden-Baden sobre o Acordo 
Quando uma aeronave é avariada, os três mecânicos e um aviador acidentados são submetidos a três inquéritos por uma multidão para determinar se o homem ajuda o homem. Faz contraposição a O Voo sobre Oceano.  
-O Voo Sobre o Oceano  
Baseado no voo de Lindbergh, trata-se de um ensaio sobre o progresso de um homem (de nome omitido) louvando a vitórias, as construções de máquinas, a técnica e a glória dos feitos históricos. Adversários manifestam a intenção de derrotar o aviador por conta de seu atrevimento, mas o objetivo do homem de vencer os medos primitivos fala mais alto.


28.04 – Terror e Miséria no Terceiro Reich (1935-38)
Ambientada na Alemanha nazista, a peça traz episódios curtos de histórias que retratam a brutalidade do homem nazista, o medo da traição, a desconfiança da própria família, o embate com adversários, a Juventude Hitlerista, os campos de concentração, o Serviço de Inverno e a possibilidade da guerra.



24/05  às 14:00  Encerramento com Laura Brauer Leitura de A Exceção e a Regra (1929-30) *
Em uma viagem pelo deserto, a hierarquia entre as pessoas é posta no limite ante as dificuldades naturais. Após acontecimentos conflituosos e mesmo acidentais, um julgamento ocorre no qual a justiça é problematizada e se torna regra. A surpresa consiste em identificar as exceções às regras.

* atividade será realizada no Espaço Ribeirão em Cena, rua Lafaiete 1804, Centro Ribeirão Preto






















X Circuito TUSP de Teatro

Entre os meses de setembro e outubro de 2013, o Teatro da Universidade de São Paulo dá continuidade ao programa Circuito TUSP de Teatro, que mescla apresentações convencionais com exibições em espaços alternativos, buscando a proximidade e a interação com o público. As apresentações serão realizadas no Auditório da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, na Av Bandeirantes 3.900 – Monte Alegre, com todas as atividades com entrada franca.

O X Circuito TUSP de Teatro contará ainda com a oficina teatral Apropriação de Texto e Criação da Fala Cênica, ministrada por Rejane K. Arruda, mestre e doutoranda em artes cênicas pela ECA-USP.  As oficinas serão realizadas nos seguintes dias:
27/10 - Domingo, das 14:00h às 18:00
28/10 - Segunda-feira, das 19:00 ás 22:30
As inscrições poderão ser feitas através do email tuspribeirao@gmail.com. Os interessados deverão enviar no corpo do email um pequeno texto de interesse.



Recusa - Cia Teatro Balagan

24/10 - Quinta-feira às 20h

Sinopse: 
Recusa começou a desenhar-se a partir do interesse despertado por notícia veiculada no jornal Folha de S. Paulo, em 2008, sobre o aparecimento de dois sobreviventes, índios Piripkura – etnia considerada extinta há mais de vinte anos. Nômades, perambulavam por fazendas madeireiras no noroeste do Mato Grosso, próximo ao município de Ji-Paraná, Rondônia, e recusavam-se a estabelecer contato com os brancos. Foram encontrados quando suas gargalhadas ressoaram na floresta: eles riam das histórias que contavam um ao outro enquanto davam conta de comer a caça recém-abatida.
Recusa é narrado, cantado, por dois olhares e seus múltiplos: dois índios Piripkura; dois heróis ameríndios, Pud e Pudleré, criadores dos seres; um padre engolido por uma onça que resolveu morar dentro de um lugar inesperado; um fazendeiro que matou um índio, e o mesmo índio que o matou; uma cantora que se perde na mata; Macunaíma e seu irmão, heróis dos Taurepang; e outros tantos.

Hotel Trombose - Cia do Mofo 

25/10 - Sexta-feira às 20h  


Sinopse
Uma hospedaria de quinta categoria com cinco estrelas, onde são expostos o grotesco da realidade, a verossimilhança do freak show cotidiano.
A peça apresenta experiências do cotidiano de habitantes que vivem às margens das metrópoles brasileiras, pessoas sem voz e sem espaço para seus testemunhos. É invadindo sem pedir licença que as
personagens de Hotel Trombose nos mostram que não sabemos reagir à violência cotidiana, apesar de estarmos cercados de brutalidade.
Um pedófilo que se passa por super-herói para atrair suas vítimas, dois irmãos que assistem a mãe se afogar na banheira enquanto comem doces de festa, a mãe de uma menina que nasceu com dois corações e se transforma em atração internacional e uma prostituta que se considera atriz de inigualável talento são algumas personagens do espetáculo. Hotel Trombose é o medo que a gente vive tentando esconder, mas que, devagarzinho, escorre pra fora da gente.

Mundico: Sonata Muda - Cia Entre Tramas

26/10 - Sábado às 20h


Sinopse: Mundico: Sonata Muda pequeno mundo guardado a sete chaves. Um mundo à parte, um instante solitário, lembranças remoídas. Histórias de Raimundo, preso num instante vivido e que quer relembrar, ter a chance de realizar seu desejo ou, simplesmente, reviver sentimentos.
E depois? Depois… descansar… recomeçar…
Um espetáculo essencialmente de imagens e sensações: Raimundo, um velho palhaço, tem por refúgio um depósito abandonado, onde cria seu pequeno mundo para ali fugir da realidade e reviver suas memórias.
O espetáculo utiliza-se de uma técnica ainda pouco pesquisada no Brasil, a da MÁSCARA INTEIRA EXPRESSIVA, que a partir do exagero da figura humana, destaca os aspectos cômicos e psicológicos do personagem.
Utiliza também recursos do teatro de animação, que transforma e dá vida a objetos antes inertes, e a riqueza delicada do teatro de sombras.

Marat/Sade - Cia Chicote de Teatro

27/10 - Domingo às 20h


Sinopse: O perverso e sinistro Marquês de Sade, internado no hospício de Charenton, encena o assassinato de Jean-Paul Marat, mártir da Revolução Francesa, pelas mãos da girondina Charlotte Corday, sob os gritos do povo que, nas ruas de Paris, encharcavam de sangue suas mãos para alimentar a crença de que o mundo se transformaria sob o peso de uma lâmina que não se detinha em cortar mais e mais cabeças.
Num encontro entre autor e personagem, Marat defende o ideal revolucionário, enquanto o aristocrata Sade defende o prazer individual e as práticas que futuramente levariam seu nome.
Ambientada numa instituição psiquiátrica que vê na atividade teatral uma possibilidade terapêutica de tratamento de doenças mentais, Marat/Sade, de Peter Weiss, permite a fragmentação da ação linear e a convivência de planos diversos de representação, diluindo os limites.











Vamos ao teatro!!!

O Tusp integra a 18ª Semana de Arte e Cultura da USP, ação cultural realizada anualmente pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária em todos os campi. 

22/09 domingo às 19 horas

Espetáculo “O rio” – Teatro Didático da Unesp.

Sinopse: O espetáculo O Rio não é uma ilustração do poema homônimo de João Cabral de Melo Neto, mas uma criação autônoma onde o rio está subsumido à percepção do espectador que não o observa na cena, mas o intui por meio de um exaustivo e insistente caminhar de homens e bichos, de plantas e poeira. As imagens do poema transformaram-se em metáforas da condição humana diante de uma realidade seca de vida, mas vívida de significados.
Recomendação etária: livre

No Teatro Santa Rosa. Praça Rotary Club, 325. City Ribeirão.
Atividade Gratuita ingressos distribuídos a partir das 18:00, 198 lugares.

(16) 3916-1359

Realização:
TUSP - Teatro da USP , parceria com o Teatro Santarosa.

Quarta 18/09  às 19:00


POTESTADE - Coletivo Teatro da Margem & ÁQIS (Núcleo de Pesquisa)



Potestade é uma das mais importantes obras do dramaturgo, ator e psicanalista argentino Eduardo Pavlovsky.

A narrativa é conduzida por um só personagem que desvela um dos traumas sociais mais significativos da história recente na Argentina: o roubo de crianças durante a ditadura.

A encenação foi desenvolvida a partir da premissa da possibilidade da intimidade e da cumplicidade com o espectador. O despojamento de cenografia e figurino buscam uma maior proximidade com o público. 





com:   Narciso Telles  e Marcella Prado

Direção: André Carreira



Na Seção de Atividades Culturais

Rua Pedreira de Freitas, Casa 4. Campus USP Ribeirão Preto

Atividade Gratuita




Leituras Públicas do Tusp -Ciclo X- “ Realidades Incendiárias II”

Programe-se!



23.09 às 19h -  O Balcão – de Jean Genet (1956)

Na obra de Jean Genet, os clientes de um bordel vivenciam aventuras erótico-fantasiosas onde experimentam serem outras pessoas como bispos, juízes e outras figuras de diferentes camadas sociais. Durante uma revolução o bordel - com seu jogo de aparências e ilusões -  traz a tona todos os defeitos e limitações da sociedade que espelha.




Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.

Seção de Atividades Culturais
R. Pedreira de Freitas , casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto
Atividade gratuita.
tel:(16) 3602-0560
tuspribeirao@gmail.com



09.09.  às 19h - A Missão,  de Heiner Muller (1979)

A peça apresenta três homens – um nobre, um camponês e um escravo – que pouco tempo após a revolução francesa, são enviados à Jamaica como emissários governamentais para liderar uma revolta de escravos. Esta missão é um grande fracasso, como já indica o prólogo, e mais adiante vemos que cada um destes três personagens é uma brilhante alegoria para os ideais da revolução.




Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.



Próxima segunda dia 09/09 às 19:00 – A Missão, de Heiner Muller
Seção de Atividades Culturais
R. Pedreira de Freitas , casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto
Atividade gratuita.
tel:(16) 3602-0560
tuspribeirao@gmail.com





Leituras Públicas do Tusp -Ciclo IX - “ Realidades Incendiárias”

Programe-se!



O Programa de Leituras Públicas do Tusp propõe a cada ciclo o dizer de peças de autores
 eminentes de teatro.





17.06 às 19h -  O Interrogatório – de Peter Weiss (1965)


Em Frankfurt durante vários meses de 1964 e 1965 ,foi instaurado um processo que julgou os acusados do massacre em Auschwitz. Weiss esteve como observador anônimo e escreve “o interrogatório em 1965, indo contra as críticas e avisos de que deveria esquecer a “vergonha nacional”. O autor pesquisou atas do processo e aproveitou muitas vezes as declarações quase ao pé da letra, explorando limites entre o relato documental e o drama


Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.




Na Seção de Atividades Culturais 



R. Pedreira de Freitas , casa 4

Campus USP - Ribeirão Preto

Atividade gratuita!

(16) 3602-0560

(16) 8214-6519

02.06.  às 19h -Jogos na Hora da Sesta– de Roma Mahieu (1976)





Um grupo de crianças brinca em uma praça, enquanto seus pais fazem a sesta. Através das brincadeiras,aparentemente inofensivas, elas espelham  comportamentos e  conceitos dos pais que vivem sob um estado de exceção.  A peça foi escrita pela polonesa Roma Mahieu, radicada na Argentina durante o período conhecido por Guerra Suja, com trinta mil oposicionistas desaparecidos entre 1973 e 1983.



Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.

Na Seção de Atividades Culturais 




R. Pedreira de Freitas , casa 4

Campus USP - Ribeirão Preto

Atividade gratuita!

(16) 3602-0560

(16) 8214-6519







de 6 a 8 de junho!!! Clique aqui e acesse a programação do IX CIRCUITO TUSP DE TEATRO










Anteriores...






13.05  às 19h- Biedermann e os Incendiários – de Max Frisch (1958)
Incendiários estão pondo fogo em casas por toda cidade,Na opnião de Gotlieb Biedermann,  cidadão bem sucedido e respeitável, todos eles  devem ser enforcados. Quando um sem-teto, ex-lutador de luta livre chega a sua porta, Biedermann, movido por um senso de culpa de cidadão de classe média, o alimenta o homem e oferece seu sótão como pousada e apesar de todos os indícios apontarem que o hóspede é um dos incendiários, tenta convencer-se do contrário.





Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.

Na Seção de Atividades Culturais 

R. Pedreira de Freitas , casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto
Atividade gratuita!
(16) 3602-0560

(16) 8214-6519






22.04.  às 19h -Novas Diretrizes em Tempos de Paz – de Bosco Brasil (2001)
 A ação se passa na sala de imigração portuária do Rio de Janeiro na década de 40. Um imigrante é interrogado por um agente alfandegário e ex-torturador da política Vargas. Um grande embate ideológico que discute a condição humana e os horrores do preconceito político e racial, onde cada oponente procura buscar e negar suas diversas identidades.




Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.

Na Seção de Atividades Culturais 

R. Pedreira de Freitas , casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto
Atividade gratuita!
(16) 3602-0560

(16) 8214-6519





Segunda, 08/04 às 19:00 

Leitura do Texto Agreste , de Newton Moreno
"No meio da esterilidade da terra, um casal de lavradores descobrem o amor e fogem. Pressentem que “algo” de perigoso paira sobre seu amor. A esposa vem a compreender o porquê após a morte do marido. Essa mulher machucada pela perda, sem entender a dimensão de seus atos, acaba sendo vítima da intolerância dos que a rodeiam."





Textos escolhidos a partir da ideia de uma "realidade incendiária": a situação limite, que obriga a personagem a uma tomada de posição radical. A faísca que nasce e gera a chama que incendeia a realidade e a transforma em outra. Em algumas peças, a ideia de incêndio é literal - em outras, se apresenta de maneira simbólica, interiorizada. Explícita ou não, a ebulição dos conflitos está presente ao longo de todo ciclo.

Na Seção de Atividades Culturais 

R. Pedreira de Freitas , casa 4

Campus USP - Ribeirão Preto

Atividade gratuita!

(16) 3602-0560

(16) 8214-6519















Atividades anteriores...







Inscrições para o Núcleo Tusp de Teatro

Dia 13 de Março- quarta-feira às 12:00
Na seção de Atividades Culturais - Rua Pedreira de Freitas -Casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto.
Para participar é preciso apenas ser maior que 18 anos, não é necessária experiência anterior e nem vínculo com a universidade.











Programe-se!


O Programa de Leituras Públicas do Tusp propõe a cada ciclo o dizer de peças de autores eminentes de teatro.Neste VIII ciclo, o objetivo é homenagear Nelson Rodrigues, dramaturgo pernambucano e um dos mais representativos da literatura dramática brasileira.Quartas às 19:00Seção de Atividades Culturais R. Pedreira de Freitas , casa 4
Campus USP - Ribeirão Preto
Atividade gratuita!


Dia 07/11 Viúva, Porém Honesta.


Dia 14/11 A Serpente.


Dia 28/11 Vestido de Noiva.







Aconteceu:


Circuito Tusp de Teatro


O Circuito TUSP de Teatro é um programa de ação continuada para a difusão das artes cênicas nos campi da Universidade de São Paulo, em parceria com outros espaços públicos no interior do estado. Desde 2008 oferece formas diversificadas de convívio com a experiência cênica, cultivando o hábito da fruição teatral entre a comunidade universitária e o público externo. 


No segundo semestre de 2012, entre os meses de setembro e outubro, o VIII Circuito Tusp de Teatro- Teatro sem Pausa acontecerá em um novo formato, levando aos campi do interior e ao espaço do TUSP na capital um espetáculo convidado, Cachorro Morto, e quatro espetáculos selecionados por edital público: o Direito de Cantar, Marie,Santiago Morto. Além das peças haverá  uma oficina desenvolvida em quatro dias que culminará em uma apresentação pública em espaço urbano.


Em Ribeirão Preto as apresentações serão no Campus da USP,no espaço Cultural Capela, próximo a rotatória central:
Datas:
17/10  Cachorro Morto - com a Cia Hiato
18/10  O Direito de Cantar - Com a Maria Gorda Produções
19/10 Marie- com a Cia Marie de Teatro
20/10 Santiago Morto- com o Coletivo Estação Teatro



Programe-se!
O Programa de Leituras Públicas do Tusp propõe, a cada ciclo o dizer de peças de autores eminentes de teatro.
No ciclo Teatro, Verdade e Justiça, a intenção é discutir textos que tem a justiça e seus paradoxos no centro do conflito. A atividade é uma das ações do Núcleo Tusp de Teatro de Ribeirão Preto. 
Atividade Gratuita e aberta, é so comparecer! 

Dia 02/05 próxima  quarta-feira às 19:00
 Um Inimigo do Povo
                   de Henrik Ibsen.
Local: 
Seção de Atividades Culturais
Rua Pedreira de Freitas , Casa 4
Campus Usp- Ribeirão Preto.
Av.  Bandeirantes 3900.
informações:
(16) 3602-0560
(16) 8214-6519






Teatro da USP inicia a partir de 04 de abril em Ribeirão Preto o VII Ciclo de Leituras Públicas.
Neste ciclo o tema Teatro, Verdade e Justiça traz à discussão textos teatrais que tem a justiça e seus paradoxos como centro do conflito.
O Programa de Leituras Públicas propõe, a cada ciclo, o dizer de peças de autores eminentes do teatro ocidental e faz parte dos Núcleos de Experiência e Apreciação Teatral do TUSP, com mediação dos Orientadores de Arte Dramática – OADs.
Em Ribeirão Preto o OAD. Dilson Rufino será o mediador.

Confira o cronograma das leituras:

04.04 Ponto de Partida – Gianfrancesco Guarnieri (1976)

02.05
Um Inimigo do Povo – Henrik Ibsen (1882)


06.06
O Rinoceronte – Eugene Ionesco (1976)


Onde| Seção de Atividades Culturais
Rua Pedreira de Freitas – Casa 4
Campus USP Ribeirão Preto
Av. Bandeirantes 3.900- Monte Alegre – Ribeirão Preto
Sempre às 19h

 
 
 
O Tusp (Teatro da USP) inicia suas atividades de 2012 no Campus de Ribeirão Preto convidando todos a participarem de uma oficina de jogos teatrais .
No encontro, que é aberto a todos os interessados em artes cênicas praticantes ou não, serão realizadas atividades que estimulam a criatividade e a expressão. Não precisa ter experiência em teatro, dança etc. para participar. Recomenda-se que os participantes venham com roupas confortáveis que facilitem a movimentação. O encontro será coordenado pelo Orientador de Arte Dramática do Tusp em Ribeirão Preto , Dilson Rufino.

Dia 27 /02 a partir das 19:00 no Espaço Cultural Capela.
Informações sobre essa ou outras atividades do TUSP: tuspribeirao@gmail.com
ou (16)3602-0560/(16) 8214-6519
Compareçam!

Postagens mais visitadas